• Roland Hohberg

Nascem talentos mortos



Com Eyuphuro e Ali Faque Já passaram duas décadas e ninguém mais investe na promoção dos nossos artistas fora de Moçambique. Onde estão agora aqueles que morderem-se de raiva por causa do sucesso dos colegas e prometeram uma carreira de ouro se eles quebram os contratos com a empresa daquele mulungo. Naquela altura a música moçambicana ainda marcou presença nos grandes festivais internacionais. Nunca por causa do apoio do Ministério da Cultura ou da Associação dos Músicos Pobres Moçambicanos. Sempre foram iniciativas de pessoas com paixão pela música que em vez de receber apoio, ainda enfrentaram barreiras no próprio país e foram atacados pelos artistas intoxicados com uma overdose de inveja Os artistas hoje já não encontram agências e promotores que investem na promoção da nossa música além-fronteiras. Nascem talentos mortos.